Internacionalización de la Educación Superior: miradas desde el Sur Internationalization of Higher Education: perspective from the South

Contenido principal del artículo

Nilson de Farias
Marlize Rubin Oliveira
Franciele Clara Peloso

Resumen

El tema de la internacionalización de la Educación Superior (ES) se ha consolidado como ámbito de investigación en las últimas dos décadas, basado principalmente en movimientos por la globalización del capital. La llamada sociedad global trajo el tema de la internacionalización a la agenda de los SE. Insertado en este debate, este artículo analiza concepciones y acciones para la internacionalización de la Educación Superior (ES) de dos universidades latinoamericanas (UNC e UNILA), basado en el perspectiva decolonial. En el proceso de análisis emergieron tres categorías: interculturalidad, ciudadanía democrática e integración solidaria. Los principales resultados apuntan a una internacionalización del Sur a la ES. Es posible identificar políticas y acciones concretas que consideren las especificidades locales. Además, es posible afirmar que existe un potencial en las políticas y acciones investigadas que conllevan concepciones en las que el otro se percibe como distinto, con estrategias integracionistas, horizontales y solidarias.

Detalles del artículo

Cómo citar
Farias, N. de ., Oliveira, M. R. ., & Peloso, F. C. . (2021). Internacionalización de la Educación Superior: miradas desde el Sur: Internationalization of Higher Education: perspective from the South. Revista nuestrAmérica, 9(17), e030. Recuperado a partir de http://nuestramerica.cl/ojs/index.php/nuestramerica/article/view/e030
Sección
Artículos libres
Biografía del autor/a

Nilson de Farias, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR, Campus Pato Branco- Brasil

Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico da UTFPR, Campus Pato Branco

 

Marlize Rubin Oliveira, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR, Campus Pato Branco- Brasil

Doutora em Educação - Professora Associada do Departamento de Ciências Humanas - Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional - Líder do GEU/UTFPR -  Grupo de Estudos sobre Universidade 

 

Franciele Clara Peloso, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Doutora em Educação - Professora Adjunta do Departamento de Ciências Humanas -  Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional - Líder do GEU/UTFPR -  Grupo de Estudos sobre Universidade

Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR, Campus Pato Branco- Brasil

 

Citas

Altbach, Philip e Jamil Salmi. 2011. The Road to Academic Excellence: The Making of World-Class Research Universities. Washington: The World Bank. Acesso em: 19 de agosto de 2020. https://openknowledge.worldbank.org/handle/10986/2357.

Bianchetti, Lucídio. 2015. O processo de Bolonha e a globalização da educação superior: antecedentes, implementação e repercussões no que fazer dos trabalhadores da educação. Campinas: Mercado de Letras.

Bianchetti, Lucídio e Lara Carlette Thiengo. 2018. “O Processo de Bolonha 1.0 e 2.0 e sua Globalização: implicações para a universidade”. Educação 43 (3): 413-30. Acesso em 19 de agosto de 2020. https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/31933/pdf.

Bogdan, Robert e Sari Knopp Biklen. 2017. Qualitative Research for Education: An Introduction to Theory and Methods. Boston: Allyn e Bacon.

Bourdin, Joël. 2008. Rapport d'information. Paris: Sénat. Acesso em: 19 de agosto de 2020. https://www.senat.fr/rap/r07-442/r07-4421.pdf.

Catani, Afrânio Mendes. 1997. “A universidade latino-americana entre o público e o privado: breves considerações”. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior 2 (4): 9-12. Acesso em 19 de agosto de 2020. http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/avaliacao/article/view/975.

Chamada Pública 01/2019. 2019. Brasil: UNILA. Acesso em 25 de Agosto de 2020. https://documentos.unila.edu.br/editais/proint/1-13.

Charle, Chistophe e Jacques Verger. 1996. História das Universidades. São Paulo: Editora da Universidade Paulista.

CRES. 2018. III Conferencia Regional de Educaçión Superior en América Latina y el Caribe. Declaración: 1-24, Córdoba: IESALC-UNESCO. Acesso em 25 de Agosto de 2020. https://www.iesalc.unesco.org/2018/12/13/informe-general-de-la-cres-2018/

Decreto nº 8.243. 2014. Brasil: Presidência da República. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2014/Decreto/D8243.htm.

Dias Sobrinho, José. 2005. Dilemas da educação superior no mundo globalizado: sociedade do conhecimento ou economia do conhecimento? São Paulo: Casa do Psicólogo.

Dias Sobrinho, José. 2008. “O Processo de Bolonha”. Educação Temática Digital 9: 107-32. Acesso em 18 de agosto de 2020. https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/730.

Dussel, Enrique. 1977. Filosofia da libertação. São Paulo: Loyola.

Dussel, Enrique. 1984. Filosofía de la produccion. Bogotá: Nueva América.

Dussel, Enrique. 1986. Método para uma filosofia da libertação. São Paulo: Loyola.

Dussel, Enrique. 1993. 1492 - o encobrimento do outro: a origem do mito da modernidade. Petrópolis: Vozes.

Edital 01/2018. 2018. Brasil: UNILA. Acesso em 25 de Agosto de 2020. https://documentos.unila.edu.br/editais/prae/1-11.

Edital 01/2018. 2018a. Brasil: UNILA. Acesso em 25 de Agosto de 2020. https://documentos.unila.edu.br/editais/imea/1-0.

Edital 02/2018. 2018. Brasil: UNILA. Acesso em 25 de Agosto de 2020. https://documentos.unila.edu.br/editais/prae/002.

Freire, Paulo. 1992. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freire, Paulo. 2005. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Grosfoguel, Ramón. 2008. “Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: Transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global”. Revista Crítica de Ciências Sociais 80: 115-47. Acesso em 19 de agosto de 2020. https://journals.openedition.org/rccs/697.

Hazelkorn, Ellen. 2010. “Os rankings e a batalha por excelência de classe mundial: estratégias institucionais e escolhas de políticas”. Higher Education Management and Policy 21 (1): 47-68. Acesso em 19 de agosto de 2020. https://www.revistaensinosuperior.gr.unicamp.br/artigos/os-rankings-e-a-batalha-por-excelencia-de-classe-mundial-estrategias-institucionais-e-escolhas-de-politicas.

IMEA. 2009. A Unila em construção: Um projeto universitário para a América Latina. Foz do Iguaçu: IMEA.

IMEA. 2009a. Unila: Consulta Internacional. Foz do Iguaçu: IMEA.

Knight, Jane. 2004. “Internationalization Remodeled: Definition, Approaches, and Rationales”. Journal of Studies in International Education 8 (1): 5-31. Acesso em 20 de Agosto de 2020. http://www.theglobalclass.org/uploads/2/1/5/0/21504478/rationale.pdf.

Knight, Jane. 2007. “Internationalization: Concepts, Complexities and Challenges”. International Handbook of Higher Education 18: 207-27. Acesso em 20 de agosto de 2020. https://link.springer.com/chapter/10.1007/978-1-4020-4012-2_11.

Knight, Jane. 2012. “Five truths about internationalization”. International Higher Education 69: 4-5. Acesso em 20 de Agosto de 2020. https://ejournals.bc.edu/index.php/ihe/article/view/8644.

Krotsch, Pedro. 1997. “El peso de la tradición y las recientes tendencias de privatización en la universidad argentina: hacia una relación público-privado”. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior 2 (4): 31-43. Acesso em 20 de agosto de 2020. http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/avaliacao/article/view/978.

Lander, Edgardo. 2007. “Marxismo, eurocentrismo e colonialismo”. Em A teoria marxista hoje. Problemas e perspectivas, organizado por Atilio Baron, Javier Amadeo e Sabrina Gonzáles, 222-60. Buenos Aires: Clacso. Acesso em 20 de agosto de 2020. http://biblioteca.clacso.edu.ar/clacso/formacion-virtual/20100715073000/boron.pdf.

Leher, Roberto. 1998. “A ideologia da globalização na política de formação profissional brasileira”. Trabalho e Educação 4 (4): 117-34. Acesso em 20 de agosto de 2020. https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/9102/6543.

Leite, Denise e Maria Elly Herz Genro. 2012. “Quo vadis? Avaliação e internacionalização da educação superior na América Latina”. Em Políticas de evaluación universitaria em América Latina: perspectivas críticas, 1ª edição, Leite, Denise, Maria Ely Herz Genro, Facundo Solanas, Vivian Fiori e Raúl Alberto Álvares Ortega, 15-98. Buenos Aires: Clacso. Acesso em 20 de agosto de 2020. http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/clacso/posgrados/20120914120239/PoliticasdeEvaluacionUniversitaria.pdf.

Mello, Alex Fiúza de. 2011. Globalização, sociedade do conhecimento e educação superior: os sinais de Bolonha e os desafios do Brasil e da América Latina. Brasília: Editora da UnB.

Mignolo, Walter. 2003. Histórias locais, projetos globais: colonialidade, saberes subalternos e pensamento liminar. Belo Horizonte: Editora UFMG.

Mignolo, Walter. 2017. “Desafios decoloniais hoje”. Epistemologia do sul 1 (1): 12-32. Acesso em 20 de agosto de 2020. https://revistas.unila.edu.br/epistemologiasdosul/article/view/772/645.

Minayo, Maria Cecília de Souza. 2000. O desafio do conhecimento: pesquisa social em saúde. Rio de Janeiro: Hucitec-Abrasco.

Morosini, Marília. 2006. Enciclopédia de pedagogia universitária: Glossário. Brasília: Inep/Ries. Acesso em 20 de agosto de 2020. http://portal.inep.gov.br/informacao-da-publicacao/-/asset_publisher/6JYIsGMAMkW1/document/id/489875.

Morosini, Marília Costa e Lorena Machado do Nascimento. 2017. “Internacionalização da Educação Superior no Brasil: A Produção Recente em Teses e Dissertações”. Educação em Revista 33: 1-27. Acesso em 20 de Agosto de 2020. http://educa.fcc.org.br/pdf/edur/v33/1982-6621-edur-33-196.pdf.

Pereira, Elisabete Monteiro de Aguiar. 2009. “A Universidade Da Modernidade Nos Tempos Atuais”. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior 14 (1): 29-52. Acesso em 20 de agosto de 2020. https://www.scielo.br/pdf/aval/v14n1/a03v14n1.pdf.

Pereira, Elisabete Monteiro de Aguiar. 2014. “A construção do conhecimento na modernidade e na pós-modernidade: implicações para a universidade”. Revista Ensino Superior 5 (14): 13-24. Acesso em 20 de agosto de 2020. http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/119465.

Pereira, Elisabete Monteiro de Aguiar e Maria de Lourdes Pinto de Almeida. 2009. Universidade Contemporânea: políticas do processo de Bolonha. Campinas: Mercado das Letras.

Pereira, Elisabete Monteiro de Aguiar e Maria de Lourdes Pinto de Almeida. 2011. Reforma Universitária e a construção do espaço europeu de Educação Superior: análise de uma década do Processo de Bolonha. Campinas: Mercado de Letras.

Quijano, Aníbal. 1992. “Colonialidad y Modernidad-racionalidad”. Em Aníbal Quijano: Ensayos en torno a la colonialidade del poder, Compilado por Walter Mignolo, 103-16. Buenos Aires: Ediciones Del Signo.

Quijano, Aníbal. 2005. “Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina”. Em A colonialidade do saber. Eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas, Organizado por Edgardo Lander, 227 – 278. Buenos Aires: Clacso. Acesso em 20 de agosto de 2020. http://biblioteca.clacso.edu.ar/ar/libros/lander/pt/lander.html.

Quijano, Aníbal. 2013. “ ‘Bem Viver’: Entre o ‘Desenvolvimento’ e a ‘Des/Colonialidade’ do Poder”. Revista da Faculdade de Direito da UFG 37 (1): 46 – 57. Acesso em 20 de Agosto de 2020. https://www.revistas.ufg.br/revfd/article/view/31763/16956.

Robertson, Suzan. 2009. “O processo de Bolonha da Europa torna-se global: modelo, mercado, mobilidade, força intelectual ou estratégia para construção do Estado?” Revista Brasileira de Educação 14 (42): 407-22. Acesso em 20 de agosto de 2020. https://www.scielo.br/pdf/rbedu/v14n42/v14n42a02.pdf.

Sguissardi, Waldemar. 1997. Avaliação universitária em questão: reformas do estado e da educação superior. São Paulo: Editores Associados.

Silva Junior, João dos Reis. 2017. The new brazilian university: a busca por resultados comercializáveis: para quem? Bauru: Canal 6.

Sousa Santos, Boaventura. 2016. “Para uma nova visão da Europa: aprender com o Sul”. Sociologias 18 (43): 24-56. Acesso em 20 de Agosto de 2020. https://www.scielo.br/pdf/soc/v18n43/1517-4522-soc-18-43-00024.pdf.

O Processo de Bolonha. União Europeia: Educação e Formação. Acesso em 25 de Agosto de 2020. https://ec.europa.eu/education/policies/higher-education/bologna-process-and-european-higher-education-area_pt.

UNC. 2018. Planificación Estratégica Participativa – PEP. Acesso em 25 de Agosto de 2020. http://pep.unc.edu.ar/.

UNC. 2018a. Síntesis Estadística. Acesso em 25 de Agosto de 2020. https://www.unc.edu.ar/sites/default/files/S%C3%ADntesis%202018%20para%20Web.pdf.

UNILA. 2013. Plano de Desenvolvimento Institucional – PDI. Foz do Iguaçu: UNILA. Acesso em 25 de Agosto de 2020. https://www.unila.edu.br/sites/default/files/files/PDI%20UNILA%202013-2017.pdf.

UNILA. 2018. “Relatório de Gestão do Exercício de 2017”. Foz do Iguaçu: UNILA. Acesso em 25 de agosto de 2020. https://www.unila.edu.br/sites/default/files/files/RG%202017%20VERS%C3%83O%20FINAL%20.pdf.

UNILA. 2019. Política de Internacionalização da UNILA. Foz do Iguaçu: UNILA. Acesso em 25 de Agosto de 2020. https://portal.unila.edu.br/proint.

UNC. 2020. Orígenes. Acesso em 25 de Agosto de 2020. https://www.unc.edu.ar/sobre-la-unc/orígenes.

Walsh, Catherine. 2010. “Interculturalidad Crítica y Educación Intercultural”. Em Construyendo Interculturalidad Crítica, Jorge Viaña, Luis Tapia e Catharine Walsh, 75-96. La Paz: Instituto Internacional de Integración del Convenio Andrés Bello. Acesso em 20 de agosto de 2020. https://aulaintercultural.org/2010/12/14/interculturalidad-critica-y-educacion-intercultural/.

Wielewicki, Hamilton de Godoy e Marlize Rubin-Oliveira. 2010. “Internacionalização da educação superior: processo de Bolonha”. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação 18 (67): 215-34. Acesso em 20 de Agosto de 2020. http://revistas.cesgranrio.org.br/index.php/ensaio/article/view/488.