Dictadura militar y la Universidad de São Paulo. El montaje del aparato de represión (1964-1972)

Matheus Cardoso da Silva

Resumen


Resumen: El artículo aborda el proceso de montaje del aparato de represión durante la dictadura militar (1964-1972) al interior de la Universidad de São Paulo, que tenía como objetivos la vigilancia, censura y  represión para con los docentes y estudiantes. Para desarrollar esas actividades se dio la supervisión de la vida cotidiana en la universidad, tanto en las actividades académicas como en las personales, resultado de lo cual se dieron diversas detenciones, procesamientos e, incluso, asesinatos. El periodo de tiempo analizado se ha dividido en tres momentos, cada uno de los cuales se describe a detalle a lo largo del artículo: el primero, a partir de 1964, mediante la vigilancia emprendida por la DOPS; el segundo inicia con la promulgación del Acta Institucional Número 5 (AI-5); y, el tercero inicia con la creación del Asesoramiento Especial y Seguridad de la Información (AESI) en todas las universidades, a partir de 1972. Durante este último momento se logró la distensión política del régimen militar, caminando hacia el proceso de apertura, aunque aún en nuestros días quedan resabios de las políticas de vigilancia de la época.

Resumo: O artigo trata do processo de montagem do aparato de repressão durante a ditadura militar (1964-1972) na Universidade de São Paulo, cujos objetivos eram vigilância, censura e repressão contra professores e alunos. Para realizar essas atividades, foi supervisionada a vida cotidiana na universidade, tanto em atividades acadêmicas como em pessoais, resultado do qual houve várias detenções, processos e até assassinatos. O período analisado foi dividido em três momentos, cada um dos quais é descrito em detalhes ao longo do artigo: o primeiro, de 1964, por meio da vigilância realizada pelo DOPS; o segundo começa com a promulgação do Ato Institucional Número 5 (AI-5); e, o terceiro começa com a criação do Conselho Especial e Segurança da Informação (AESI) em todas as universidades, a partir de 1972. Nesse último momento, foi alcançada a distensão política do regime militar, caminhando em direção ao processo de abertura, embora ainda hoje existem restos das políticas de vigilância da época.

Abstract: This paper describes the process of mounting the repression apparatus during the military dictatorship (1964-1972) inside the Sao Paolo University having as main objectives monitoring, censorship and repression of teachers and students. To accomplish these objectives, daily life in college, including academic and personal activities, was supervised resulting in several arrests, prosecutions and even murders. The analyzed period of time is divided into three stages. Each of them is described in detail throughout this paper. The first one, starting from 1964, describes the monitoring undertaken by the DOPS*; the second one starts with the enactment of the Institutional Act 5 (IA-5); and the third one starts with the creation of the Special Consulting and Security of Information (SCSI) in all the universities, as from 1972. During this last stage, the political distension of the military regime was achieved, moving to a process of openness; however, viciousness of the monitoring policies of that time still prevail.


Palabras clave


dictadura, Universidad de São Paulo, aparato de vigilancia ditadura, Universidade de São Paulo, aparato de vigilância dictatorship, University of Sao Paulo, monitoring apparatus

Texto completo:

HTML

Referencias


Bertonha, João F. 1995. “Os arquivos policiais e judiciários: fontes para a história política e social do Brasil do século XX”. História Social (2): 193-195.

Carneiro, Maria Luiza Tucci (org.). 2002. Minorias silenciadas: história da censura do Brasil. São Paulo: EDUSP/FAPESP.

Chrispiniano, José, Marcy Picanço y Marina Gonzales. 2004. “Filha Bastarda da Usp, AESI desempenhou diferentes papéis na repressão interna”. Revista ADUSP 6(33): 37-48. http://www.adusp.org.br/index.php/revista-adusp/111-revista-n-33-outubro-de-2004

Chrispiniano, José. 2004. “Na criação do DCE Livre da USP uma derrota da Ditadura”. Revista ADUSP 11(33), 69-73. http://www.adusp.org.br/index.php/revista-adusp/111-revista-n-33-outubro-de-2004

Comissão de familiares de mortos; desaparecidos políticos (brasil); instituto de estudos sobre a violência do estado. 2009. Dossiê ditadura: mortos e desaparecidos políticos no Brasil (1964-1985). IEVE, Instituto de Estudos sobre a Violência do Estado. www.dhnet.org.br/dados/dossiers/dh/br/dossie64/br/dossmdp.pdf

Elias, Beatriz. 1998. “A USP nos Arquivos do DOPS”. Revista da ADUSP 13: 7-19. http://www.adusp.org.br/index.php/revista-adusp/91-revista-n-13-abril-de-1998

Fico, Carlos. 2001. Como eles agiam: os subterrâneos da ditadura miliar: espionagem e policia política. Rio de Janeiro: Record.

Gonzales, Marina. 2004. ADUSP e ASUSP na mira da repressão, Revista da ADUSP 9(33): 59-62. http://www.adusp.org.br/index.php/revista-adusp/111-revista-n-33-outubro-de-2004

Hildebrando, Luiz. 2001. Crônicas de nossa época: (memórias de um cientista engajado). São Paulo: Paz e Terra.

Hildebrando, Luiz. 1990. O fio da meada. São Paulo: Brasiliense.

Kushnir, Beatriz. 2002. “Pelo buraco da fechadura: o acesso à informação e às fontes (os arquivos do Dops – RJ e SP)”. En Minorias silenciadas: história da censura do Brasil, organizado por Maria Luiza Tucci Carneiro, 554-83. São Paulo: EDUSP/FAPESP.

Marcuse, Herbert. 1981. Eros e Civilização. Rio de Janeiro: Editora Zahar.

Motta, Rodrigo P. S. 2014. As universidades e o regime militar. Rio de Janeiro: Zahar.

Motta, Rodrigo P. S. 2008. “Os olhos do regime militar brasileiro nos campi. As assessorias de segurança e informações nas universidades”. Topoi 9(16): 30-67.

“O Controle Ideológico na USP: 1964-1978” / “O livro Negro da USP”. 2004. São Paulo: Associação dos Docentes da USP (ADUSP).

Picanço, Marcy. 2004. “Vigilância sobre tudo e sobre todos com a colaboração das autoridades da USP”. Revista da ADUSP 7(33), 49-52. http://www.adusp.org.br/index.php/revista-adusp/111-revista-n-33-outubro-de-2004

Pimenta, João P. G. 1995. “Os arquivos do DEOPS: notas preliminares”. Revista de História (132): 149-54.

Projeto Brasil: Nunca Mais. Arquivo Edgar Leuenroth, da Universidade de Campinas (UNICAMP).

Rodrigues, Lidiane S. 2011. A produção social do marxismo universitário em São Paulo: mestres, discípulos e um 'seminário' (1958-1978). Tese de Doutorado. São Paulo, Universidade de São Paulo.

Rorigues da silva, Camila. 2012. “Razões de sobra para a criação da Comissão da Verdade da USP. Caderno especial: subsídios para uma comissão da verdade da USP”. Revista da ADUSP (53): 46-50. http://www.adusp.org.br/index.php/revista-adusp/1498-revista-n-53

---------------------------------------------------------------

Entrevistas

Entrevista a Lenina Pomeranz (profesora jubilada, FEA-Universidade de São Paulo). 30/03/2010. Concedida a Roberta Astolfi y Matheus Cardoso Silva.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.